101 mulheres – 1: Alice, a ruiva e o primeiro beijo

Publicado: 2 de dezembro de 2010 em Mundo Crash
Tags:,

Quando tinha meus 11 anos, eu me revoltei contra o mundo. Sem causa. Era apenas a rebeldia adolescente adentrando em minhas veias. Sempre fui um dos melhores alunos da escola, quieto, comportado e muito educado. Não mudou muito, mas depois da revolução, eu já não ouvia as coisas e ficava quieto, eu aprendi a usar o Foda-se com maestria a lutar pelos meus direitos. Essa mudança se deu, sobretudo graças a um CD do Nirvana que guardo até hoje. As letras e o som, pesado aos meus ouvidos de menino, embalavam-me em um novo mundo onde eu podia mudar as coisas e transforma-las no que eu bem entendesse.

Comecei a andar com uns caras mais velhos e descobri coisas que os garotos da minha idade talvez não devessem saber. Comecei a olhar as garotinhas com outros olhos… Como o Lobo olhava a Chapeuzinho Vermelho… Nesse contexto, foi que conheci Alice. Ela era a irmã mais nova de um dos meus novos amigos. A primeira vez que a vi fiquei muito excitado encantado, ela tinha uma pele branca e o rosto cheio de sardas, um longo cabelo ruivo encaracolado, olhos claros e peitos bem grandes um corpo muito bonito… Ela usava uma camiseta do AC/DC cortada bem curtinha que lhe deixava com um pedaço da barriga lisinha de fora… Minha boca salivava… Naquele momento minha inocência de criança tinha desaparecido completamente!

Alice era um pouco mais velha e eu não estava nem aí. Fiquei dias imaginando como faria pra que minha mão alcançasse os peitos dela pra conseguir um beijo daquela garota. Mas isso me assustava, pois nunca tinha posto a mão por baixo da blusa de uma mulher beijado antes. Tinha toda a teoria que os filmes pornôs da TV haviam me dado, mas não sabia bem o que fazer na prática…

As coisas fluíram mais fáceis do que imaginei. No aniversário do meu “cunhado”, Alice estava linda com um vestido preto, um all-star de cano alto e o seu deslumbrante cabelo de fogo. Os caras estavam bebendo cerveja, fui até a mesa e peguei um copo pra mim, mas uma velha filha da puta e muito da escrota senhora consciente disse que eu era muito novo pra tomar álcool (ela tinha razão, ok?), fiquei com uma vontade louca de mandar ela tomar no… inconformado, já me achava grande o suficiente pra tomar aquilo (eu estava errado, ok?). Então, fui até a cozinha, roubei uma lata na geladeira e corri furtivamente pra trás da casa. Tomei com vontade aquele líquido amargo ao meu paladar acostumado a coca-cola.

Na segunda golada, percebi que havia alguém me olhando. Era Alice. Sem graça, ofereci um pouco da bebida a ela que aceitou sem nem pensar duas vezes. Ela pegou a lata e esvaziou quase metade, agradeceu e ao invés de me devolvê-la, colocou a mão no meu peito, me empurrou contra a parede e me deu um beijo… Minha calça quase explodiu Meu coração bateu tão rápido que nem consegui pensar em colocar a mão na bunda dela na situação. Ela deu um sorrisinho maquiavélico, virou e foi embora. Eu fiquei ali, com um sorriso bem largo recapitulando cada milésimo de segundo do acontecido…

Nessa série de posts, são contadas as histórias de 101 mulheres que passaram pela vida do ‘Crash’. Partes reais e partes fictícias, parte memória e parte imaginação, parte realidade e parte sonho. Não há uma ordem cronológica, são escolhidas ao acaso. Muitas histórias ainda nem existem e serão escritas conforme passem a fazer parte da memória, ou do imaginário, do autor.

Leia mais em #CrashDay


Anúncios
comentários
  1. vitor disse:

    Mto maniero o post ficou foda msm

    Uma ruiva sempre despertam um desejo loco em nós

  2. Rachel Tavares disse:

    Massa o txt rsrsrs

    Muito legal mesmo, parabens

  3. Plínio Alves disse:

    Gostei do post, e já estou curioso para ver o próximo.

    Esse post me fez lembrar, exatamente 11 anos atrás, quando eu tinha 11 anos de idade (estou com 22), ganhei um Nevermind, uma camisa do Pearl Jam e um violão. Esses três itens, o qual tenho até hoje, constituem o marco inicial da minha vida de Metaleiro.

    Bons velhos tempos.

    Muito bom o post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s